A situação no Hospital Regional de Campo Maior continua crítica pela falta de médicos para atendimentos de urgência e emergência no setor de ortopedia. Além da falta de clínico geral no Pronto Socorro, como ocorreu em quase todos os dias da semana passada, os médicos contratados para o setor de ortopedia, abandonaram os trabalhos por falta de pagamento. Desde julho, logo que a atual direção assumiu,  eles estão sem receber seus salários. 
Outra situação denunciada é referente ao material para a manutenção, limpeza e higiene do hospital. “Estão comprando em pequena quantidade, em sacolinhas”, quantidades mínimas, contou um servidor que não quis ser identificado temendo ser posto para fora, nestes últimos três meses que falta para encerrar a atual gestão do Governo do Estado. A preocupação tem aumentado a cada dia, porque segundo ele, o hospital mal higienizado é risco para quem trabalha, para os pacientes e para quem entrar.
As denúncias chegam de pessoas que não querem ser identificadas e que estão trabalhando na unidade de saúde que atende Campo Maior e região.  “As ameaças de pessoas diretamente ligadas a atual direção do HR são constantes”, disse.  As insatisfações de quem continua trabalhando mesmo sem receber seus proventos também são constantes e nenhuma providência é tomada. Uma das denuncia por falta de médico foi feita pela dona de casa Luciene Rodrigues Ibiapina.
Ela foi à busca de atendimento e saiu revoltada ao saber que os médicos não apareceram. “Eu estou doente, morrendo de dores e não tem médico”, disse a mulher. Não tem lençol, para quem precisa de repouso. As denúncias não param. Maria do Socorro do Bairro Cidade Nova contou que somente os enfermeiros estão dando suporte.
Fonte: portalcampomaior
Policial matou o servidor público  neste bar,em Teresina
Foi publicada no Diário Oficial do Estado a demissão do agente da Polícia Civil do Piauí, João dos Santos Braga. Ele é considerado culpado pelo assassinato do ex-funcionário da Secretaria de Desenvolvimento do Estado, Cecílio Sousa, 66 anos, durante uma discussão em um bar localizado na Avenida Presidente Kennedy, zona Leste de Teresina, em outubro do ano passado.  A briga entre o policial e a vítima teria ocorrido por questões relacionadas ao racismo.
Diferente do que foi alegado pela defesa de João dos Santos Braga, ficou provado que o senhor Cecílio adentrou normalmente no bar e a confusão iniciou após uma atitude racista do policial com a cor da pele da vítima. Em depoimento ,João chegou a dizer que foi atacado com uma faca pelo ex-funcionário da SDR. A versão foi desmentida pelo dono do bar e por outras testemunhas que estavam no local no momento do crime.
O dono do bar também afirmou no inquérito que por três vezes o policial foi ao local com a arma exposta na cintura. A pena de demissão de João dos Santos Braga foi aplicada na forma da Lei Complementar nº 37/2004 dos artigos 66 e 67 do Estatuto da Polícia Civil e divulgada  ontem (20). 

 

A violência está tomando conta da cidade de altos, a capital da manga.Uma professora foi assaltada por no bairro Batalhão. Maria Célia, estava sentada na porta de casa com uma colega de trabalho quando foi abordada por dois homens armados em uma moto. Eles estavam de capacete e agiram rapidamente, levando apenas um celular.
    
No mesmo dia,  uma farmácia localizada no centro da cidade foi invadida. Foi o segundo assalto ao estabelecimento em menos de um mês. Neste caso, os criminosos levaram o celular e a bolsa de um funcionária da drogaria. Em seguida, a poucos metros do local, uma óptica, ao lado do calçadão público de Altos, também sofreu uma tentativa de assalto. Pela forma do ataque, a polícia acredita que trata-se de uma mesma dupla de meliantes que está atacando  diariamente em Altos.





  
Sobre essa ânsia, quase que desesperada, para antecipar a votação de escolha do novo Conselheiro do Tribunal de Contas do Piauí,o advogado Miguel Dias Pinheiro chama a atenção para uma ilegalidade gritante praticada pela Assembleia legislativa, ao  declarar vago o cargo do conselheiro Anfrísio Neto, atingido semana passada pela compulsória.
 
Considerado um dos maiores  especialistas no assunto, o advogado Miguel Dias é enfático "A Assembleia Legislativa do Piauí acaba de inserir o Estado em mais um anedotário jurídico. Com decisão plenária, o Legislativo piauiense entendeu, primeiro, invadir a competência constitucional do TCE-PI  declarar de forma inconstitucional a vacância do cargo deixado pelo ex-conselheiro. De acordo com o art. 102, item IX, da Constituição do Estado do Piauí, o provimento e a vacância de um cargo público é de competência exclusiva e privativa do Governador do Estado".

O entendimento jurídico deve jogar por terra, a intenção do atuais deputados que querem entrar à força na vaga do TCE e derruba o sonho dourado dos que foram derrotados nas urnas mas  que já estão catando um "peito eterno" para mamar nos cofres do estado.






Moradores da Comunidade Santa Isabel, zona rural de Campo Maior, às margens da PI 115 ,que dá acesso à cidade de Castelo do Piauí, avistaram nesta segunda feira(20) por volta das  sete horas da noite, uma enorme bola de fogo cruzando o céu.

A informação foi repassada pelo estudante Fábio Wellington. Ele disse que " estava com outras pessoas na porta de casa quando avistou aquela bola de fogo riscando o céu, deixando um rastro no espaço como se fosse um rabo colorido".

O estudante disse que a cena foi impressionante e foi diferente do mesmo tipo de bola de fogo que também foi vista pelos moradores da região, no ano passado. Segundo ele, a bola de fogo que foi vista agora é diferente por que apenas fez um clarão no céu, sem provocar nenhum estrondo, nenhum sinal de explosão, como o que foi visto anteriormente.

Até agora, nada foi relatado oficialmente pelos órgãos que acompanham esses fenômenos celestes.Mas os moradores afirmam que assistiram esses espetáculo no céu e que ficaram ao mesmo tempo encantados e assustados com a força do clarão.

 

Homens que se amam e se matam. Essa é a história fatal entre dois namorados do mesmo sexo, no município de São João da Serra. Joaquim Altino dos Anjos, 29 anos, foi preso e confessou que estrangulou o seu companheiro, Benedito, 45 anos. 

Os dois beberam muito no dia do crime. “Eles estavam juntos há vários anos e recentemente assumiram o namoro na cidade. O suspeito foi dormir na casa do companheiro e confessou que eles estavam discutindo muito nos últimos dias. Ele lembra que segurou o pescoço da vítima e o enforcou.

morto-castelo



Joaquim foi preso em sua residência, próximo à casa da vítima, no centro da cidade, nas primeiras horas da manhã de sexta pela Polícia Militar de São João da Serra e encaminhado para a delegacia de Castelo, onde permanece preso.


 

 

GERAL